China irá banir a Mineração de Bitcoin para poupar Energia

Uma parte da China ordenou o encerramento de todas as instalações de mineração de moeda criptográfica para minimizar o consumo de energia.

A China encerrará todas as instalações de mineração de moeda criptográfica na zona da Mongólia para minimizar os elevados custos de energia. Sabe-se que o território tem um dos custos de electricidade mais baratos do mundo, o que interessa a vários mineiros para aí operarem.

Fábricas versus criptomoedas

Esta parte da Mongólia é também um grande parque industrial para a produção de aço, metanol e outros produtos. Foi também a única das 30 divisões territoriais continentais que não conseguiu cumprir os últimos objectivos energéticos de Pequim. O regime chinês já estava a criticar o problema em Setembro de 2020.

No entanto, foi agora no final de Fevereiro, quando foi concluído o encerramento de cada uma das instalações de mineração de moeda criptográfica novas e existentes na área. O regime local deu até Abril como data limite para os mineiros cessarem as suas ocupações.

A mineração de bitcoin e outras moedas criptográficas consome uma proporção gigantesca de energia. Com a implementação de planos de poupança de electricidade em todo o território de Pequim, as instalações mineiras são dispensáveis em comparação com os vastos parques industriais da China.

Mineração vai contra plano de sustentabilidade

Além disso, a China está empenhada em minimizar as suas emissões de carbono. O projecto assenta em reduzir para metade a poluição atmosférica até 2030 e alcançar a neutralidade de emissões de CO2 até 2060.

O Departamento da Indústria e Energia da Mongólia Interior divulgou o projecto de mineração anti-mineração de criptomoedas na última semana de Fevereiro, mas ainda está sujeito a debate face às críticas do público e prováveis modificações.

  Como ganhar dinheiro com criptomoedas?

Mesmo sem os objectivos de poupança de energia estabelecidos para 2021, as autoridades locais da Mongólia pretendem minimizar o consumo de electricidade na região em 3% este ano.

Região aumenta consumo desde 2016

De 2016 até ao final de 2019, as autoridades observaram um crescimento de 9,5% no consumo de energia. Não é claro até que ponto a extracção de moeda criptográfica está relacionada com este crescimento, no entanto, enquanto a fonte das centrais eléctricas locais for principalmente carvão, a energia permanecerá barata e os mineiros permanecerão na China, mesmo que não na Mongólia.

Autor Convidado

Sou um escritor freelance e nómada digital. Dedico a minha vida a explorar as principais estratégias de marketing. Por cinco anos, tenho partilhado a minha própria experiência a alunos, por forma a ajudá-los a desenvolver novas habilidades. Como viajar é a segunda forma de reconhecer o mundo, fico imensamente feliz em deixar os leitores também felizes com dicas e inovações.

Quem somos

Este será o maior diretorio de artigos DOFOLLOW do Brasil e Portugal.

Os objectivos são simples: ajudar qualquer pessoa ou entidade a divulgar o seu negócio através da partilha de conhecimento, ferramentas, serviços e soluções. Colocando em prática uma Estratégia Digital eficiente, capaz de captar audiências.

Assim sendo, queremos não só publicar os seus conteúdos, mas sobretudo continuar a aprender em conjunto com todos os nossos leitores como colaborar para esta mudança digital, estimulando o estudo e aprendizagem das técnicas e recursos da Internet.