Leishmaniose Canina: saiba tudo sobre esta doença!

A leishmaniose canina é uma doença grave e crónica, que tem como agente causador um protozoário, chamado de Leishmania.

É uma doença comum em animais, e pode ser transmitida para humanos.

No post de hoje vamos falar sobre as principais informações e esclarecer dúvidas sobre o contágio, tratamento, prevenção e sintomas da leishmaniose canina. Continue a leitura e confira!

pssst... um pequeno à parte...

Neste diretório de artigos vai encontrar certamente o conteúdo que procura! A nossa equipa empenha-se diáriamente para procurar conteúdo relevante e publicar neste diretório sobre todas as temáticas possíveis e a nossa única fonte de receita é através dos cliques na publicidade que vai encontrar ao longo do artigo.

Obrigado pela sua visita e compreensão, boa leitura!

Leishmaniose Canina: conheça os sintomas, causa, tratamento e prevenção

A Leishmaniose canina é uma das doenças mais comuns em animais, sendo inclusive tratada como uma questão de saúde pública em alguns países. Veja a seguir suas principais características e tratamentos.

O que é e como surge a Leishmaniose Canina

A Leishmaniose canina é uma doença que pode ser contraída por qualquer raça de cães, e consiste numa infeção parasitária causada por protozoários que atacam o sistema imunológico do animal.

O parasita, chamado de Leishmania, quando em contato com o hospedeiro (cão), começa a destruir suas células de proteção contra corpos estranhos. Dessa forma, se multiplicam ao mesmo tempo em que o animal vai se debilitando.

Quando não tratada, a propagação dos parasitas pode atingir órgãos importantes como fígado, baço e medula óssea, causando inclusive a morte do animal.

A leishmaniose canina pode ser classificada como cutânea e visceral, contudo, nos cães de manifesta como visceral.

O contágio se dá por meio de um vetor, o chamado mosquito palha, que adquire o parasita Leishmania ao picar um animal infetado. A partir de então ele passa a contaminar outros animais e humanos, também através da picada.

Principais sintomas da Leishmaniose Canina

Os sintomas desta doença são diversos, e se manifestam tanto externa quanto internamente. Os cães contaminados costumam apresentar lesões, descamação e coloração em tonalidade branca na pele.

As patas podem ser acometidas por infeções, sendo muito comuns sintomas dermatológicos como a pele e unhas, além dos feridas nas orelhas. Estes são sinais de alerta que merecem atenção.

Outra particularidade da leishmaniose canina é que 80% dos cachorros infetados apresentam problemas nos olhos. Fique atento à secreção persistente, do piscar de olhos excessivo e incómodo nos olhos.

Sintomas como vómito, diarreia e dificuldade para urinar podem surgir de acordo com cada área afetada pelo Leishmania.

Além disso, como o parasita prejudica o sistema imunológico do cão, ele fica mais vulnerável e pode contrair outras doenças enquanto está com a leishmaniose canina, já que seu corpo está enfraquecido e não consegue se proteger normalmente.

 

Diagnóstico e tratamento da Leishmaniose Canina

Como os sintomas da doença manifestam-se através de diferentes formas, para que o diagnóstico da leishmaniose seja efetivo é necessário realizar exames mais complexos, através de histopatologia e/ou análises ao sangue.

Não existe cura para a Leishmaniose, contudo existem tratamentos para os sintomas e que impedem que o cão se torne um transmissor da doença.

 

Leishmaniose Canina: saiba tudo sobre esta doença!

Prognóstico

De salientar que o prognóstico da doença varia de acordo com a evolução da doença e quais órgãos foram afetados.

Contudo, quanto mais cedo diagnosticar a doença, maior é a probabilidade do cão evoluir favoravelmente e ter uma vida saudável.

 

Como proteger o cão da Leishmaniose Canina

Relembrar que esta doença não tem cura e a prevenção é a forma mais efetiva no combate aos sintomas e à transmissão da doença.

Em Portugal existem 2 vacinas para a leishmaniose, elas não previnem a infeção e sim a evolução da doença.

É importante usar coleiras repelentes e até mesmo repelentes para cães que ajudam a reduzir o risco de contaminação.

Além disso, não se esqueça de realizar consultas periódicas com o médico veterinário e realizar um check-up para avaliar a saúde do animal, juntamente com a desparasitação.

Artigos de Interesse:

Autor Convidado

Sou um escritor freelance e nómada digital. Dedico a minha vida a explorar as principais estratégias de marketing. Por cinco anos, tenho partilhado a minha própria experiência a alunos, por forma a ajudá-los a desenvolver novas habilidades. Como viajar é a segunda forma de reconhecer o mundo, fico imensamente feliz em deixar os leitores também felizes com dicas e inovações.

Quem somos

Este será o maior diretorio de artigos DOFOLLOW do Brasil e Portugal.

Os objectivos são simples: ajudar qualquer pessoa ou entidade a divulgar o seu negócio através da partilha de conhecimento, ferramentas, serviços e soluções. Colocando em prática uma Estratégia Digital eficiente, capaz de captar audiências.

Assim sendo, queremos não só publicar os seus conteúdos, mas sobretudo continuar a aprender em conjunto com todos os nossos leitores como colaborar para esta mudança digital, estimulando o estudo e aprendizagem das técnicas e recursos da Internet.