Gato Egípcio – Guia Completo sobre Raças de Gatos

O Gato Egípcio, também conhecido como “Mau Egípcio”, é provavelmente uma das raças de gatos domésticos mais antigas do mundo, e suas origens nos levam até o Antigo Egito e as dinastias dos faraós.

Adorados e tratados como divindades na Era Faraónica, estes felinos mantêm até hoje seu andar elegante e um ar misterioso, muito pelo seu temperamento reservado, porém adoram os humanos e não vão hesitar em demonstrar toda sua lealdade.

Apesar de gatos domésticos, ainda hoje são encontrados exemplares selvagens do Gato Egípcio vivendo próximos do Rio Nilo.

pssst... um pequeno à parte...

Neste diretório de artigos vai encontrar certamente o conteúdo que procura! A nossa equipa empenha-se diáriamente para procurar conteúdo relevante e publicar neste diretório sobre todas as temáticas possíveis e a nossa única fonte de receita é através dos cliques na publicidade que vai encontrar ao longo do artigo.

Obrigado pela sua visita e compreensão, boa leitura!

Saiba mais sobre o Mau Egípcio no artigo a seguir, e não deixe de visitar e conhecer a nossa categoria cão e gato onde você encontra tudo sobre os seus peludos!

Há uma lenda que diz que Cleópatra estava sempre acompanhada por um Gato Egípcio.

É inegável a importância destes felinos para o povo egípcio, já que eram venerados, representados em sua arte e até mesmo mumificados como animais sagrados.

1. História da raça

As origens do Gato Egípcio nos levam até os tempos remotos do antigo Egito, onde acredita-se tenham surgido de uma subespécie de gato selvagem oriunda do continente africano.

Adorados e venerados, os Mau Egípcios (“mau” significa gato no idioma egípcio), estes peludos tiveram parte importante na história antiga do Egito, e foram símbolo do divino e sagrado, representados em pinturas e hieróglifos.

Sabe-se que eles foram levados para a Europa por uma princesa russa, chamada Natalia Troubetzkoi, e que vivia isolada na Itália em 1953.

Graças ao seu amor pelo Gato Egípcio a raça foi salva da extinção, chegando ao Estados Unidos por volta de 1956, e hoje são aceites como raça por todas as associações de gatos da América do Norte.

2. Características físicas

O Gato Egípcio é considerado de porte médio, e pode pesar de 2,5 a 5 quilos. A estrutura de seu corpo lembra a do Abissínio, mas estes últimos se mostram mais musculosos e compridos.

São elegantes, com patinhas pequenas e delicadas. Sua forma de andar faz parecer com que estejam sempre nas pontas dos pés, o que lhes confere ainda mais graça e charme.

A sua pelagem é de comprimento médio, de textura fina e sedosa. Possuem pelos com manchas características, e em vários tamanhos e formatos, cujas cores variam entre prata, bronze ou fumaça.

3. Personalidade

Apesar de por vezes se mostrar brincalhão, o Gato Egípcio é de temperamento mais independente e reservado, e prefere ambientes mais tranquilos do que locais de maior agitação.

Preferem estar ao nível do chão, e não são muito chegados em colo, porém devotam toda sua lealdade aos seus humanos, a quem estão sempre a dar e pedir carinho e atenção.

Não se mostram muito abertos na presença de estranhos, e apesar de conviverem bem com outros gatos quando socializados, muitas vezes preferem ter uma família só para si já que tendem a ser possessivos.

No geral, o Gato Egípcio é um felino bastante inteligente, dócil, e moderadamente ativo, que aprecia ganhar muita atenção e carinho dos seus pais humanos.

4. Cuidados e saúde

Os cuidados com a pelagem do Gato Egípcio envolvem somente uma escovagem semanal, para que se mantenham bonitos e sedosos.

Não toleram muito bem mudanças repentinas de temperatura, preferindo locais de clima quente ao invés de frio.

Por não ter sofrido com interferências genéticas artificiais, a saúde do Mau Egípcio é bastante forte e não costumam apresentar doenças características da raça.

Apesar disso, com a idade podem desenvolver problemas comum em gatos idosos como atrofia progressiva da retina, doenças cardíacas e respiratórias.

5. Alimentação

O Gato Egípcio deve receber refeições com alimentos de qualidade e nutricionalmente balanceadas. A hidratação destes peludos deve receber atenção especial, sempre dispondo de água fresca e rações húmidas.

A quantidade de ração indicada para os filhotes varia de 30 a 40 gramas diários. Na fase adulta essa quantidade passa a ser de 30 a 50 gramas de ração ao dia.

Quem adota um Gato Egípcio na família ganha de certeza um companheiro leal, intenso e muito afectuoso. Estes pequenos não aceitam ser ignorados, e vão querer estar sempre presentes nas atividades em família, recebendo carinho e atenção.

Artigos de Interesse:

Autor Convidado

Sou um escritor freelance e nómada digital. Dedico a minha vida a explorar as principais estratégias de marketing. Por cinco anos, tenho partilhado a minha própria experiência a alunos, por forma a ajudá-los a desenvolver novas habilidades. Como viajar é a segunda forma de reconhecer o mundo, fico imensamente feliz em deixar os leitores também felizes com dicas e inovações.

Quem somos

Este será o maior diretorio de artigos DOFOLLOW do Brasil e Portugal.

Os objectivos são simples: ajudar qualquer pessoa ou entidade a divulgar o seu negócio através da partilha de conhecimento, ferramentas, serviços e soluções. Colocando em prática uma Estratégia Digital eficiente, capaz de captar audiências.

Assim sendo, queremos não só publicar os seus conteúdos, mas sobretudo continuar a aprender em conjunto com todos os nossos leitores como colaborar para esta mudança digital, estimulando o estudo e aprendizagem das técnicas e recursos da Internet.